: Escrevo não porque sei, mas por gosto e impulso... E assim escrevo errado mesmo...

(E o conteúdo deste blog que não consta fonte, é de minha autoria...)

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Que a saúde se difunda sobre a terra (cf. Eclo 38,8)

Sou católica e estando no tempo da quaresma¹ e páscoa², saliento que nós, católicos e cristãos de boa vontade, somos convidados pela CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a acrescentar em nossos estudos³, um tema social, que é trabalhado pela Campanha da Fraternidade.

Em 2012:
Tema proposto: “Fraternidade e a Saúde Pública”;
Lema: Que a saúde se difunda sobre a terra (cf. Eclo 38,8)

Trabalho na área de informação em saúde e fiquei muito feliz com a escolha do tema. Baixei o texto-base da Campanha pra estudar (ainda), mas já faço as considerações a seguir.

Mesmo com os desencontros que existem entre Ciência e Religião, é humanamente possível deixar de lado as divergências e estudar sobre saúde, e em específico a saúde pública no Brasil. Mas, porque e para que?
Contraditoriamente, a maioria das informações em saúde, são sobre doenças ou situações contrárias à saúde propriamente dita: ninguém com saúde vai ao médico! Se alguém procura atendimento, não está com saúde, e sim com doença.
Mas então estudar sobre saúde pública no Brasil é estudar doenças? NÃO!
A saúde pública brasileira é regida por um conjunto de leis, normas, regras que por vezes parecem desumanas, mas que objetivam a organização do tratamento humano. As informações sobre as doenças e atendimentos, geralmente números, servem para o conhecimento da situação, e com base nesse conhecimento, nortear as ações que solucionarão os problemas das doenças e assim promover saúde. E tudo isso, seguindo as leis, normas, e regras pré-estabelecidas.
Segundo a Constituição de 1998, Art. 196, “a saúde é direito de todos e dever do Estado”, e no Art. 198. Item III, apresenta como uma das diretrizes, “participação da comunidade”.
Para participar de algo eu preciso conhecer certo?
Então, é necessário estudar! Procurar saber como é, o que dizem as leis, normas e regras; se são cumpridas (a parte mais crítica); como são cumpridas (a mais difícil, pois se lida com vidas) e ainda, o que se pode fazer para ajudar. Sim, ajudar todo mundo pode e deve! Não que se vá fazer a obrigação de outrem, mas o que se pode fazer enquanto ser humano, cidadão, cristão.
O SUS – Sistema Único de Saúde, é composto por profissionais que como em todas as áreas se dividem em categorias: os apaixonados pelo que fazem e os que amam o que recebem; os servidores e os funcionários; os que mandam (os eleitos – muitos com pouco ou nenhum conhecimento) e os que obedecem (os eleitores – profissionais específicos, administrativos e de apoio, como limpeza e etc...); enfim, o SUS é feito por gente, brasileiras e brasileiros como diz a Presidenta e outros e para gente, humanos, nós...
Vamos lá Católicos, Cristãos... Procurem conhecer para participar...
A Igreja Católica está sugerindo...

E eu fiz um artigo em vez de uma nota! Me empolguei, desculpe se é que você leu!

Abraços!

Dedico esta nota a Valeriano Rodrigues (Neto), meu amado sobrinho que iniciou seu curso de medicina exatamente no dia em que escrevi este texto. Que você seja um médico católico apaixonado pela promoção de saúde e defensor da vida, Neto.
_________________________________________________________
¹QUARESMA - 40 dias de preparação para a semana santa - MEMORIAL da Paixão e Morte de Jesus (não celebramos novamente a morte, apenas a memória: Jesus está ressuscitado);
²PÁSCOA – passagem, da morte para a vida – Ressurreição de Jesus;
³Sim católicos e cristãos devem não só orar como também estudar, para não se alienar e nem saber porque e para que ora.


Inicialmente, Nota para Facebook. Mas postei aqui na mesma data que no Facebook.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hum! Vai comentar! Agradecida!