: Escrevo não porque sei, mas por gosto e impulso... E assim escrevo errado mesmo...

(E o conteúdo deste blog que não consta fonte, é de minha autoria...)

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Uma experiência em Amizade

Vou tentar compartilhar algo que vivi:


Hoje uma amiga minha sepultou seu pai;
Logo que soube do falecimento, pensei logo nela e que assim que ela chegasse eu ficaria junto dela;
Assim eu fiz: quando soube que ela já estava na residência da família fui pra lá.
Ela me viu e evitou o primeiro contato, desconfiei... O segundo, foi da mesma forma... Novamente desconfiei... No terceiro, me aproximei pelas costas sem deixá-la saída, abracei-lhe e perguntei: "Está fugindo de mim?" Ela suspirou e respondeu sem me olhar: "Tô."
Pensei: a minha presença a fragilizaria e ela queria ser forte.
Então lhe fiz um carinho e ia me afastar quando fui puxada e recebi o seu choro desabado sobre meu ombro... Chorei com ela...

Essa é uma amizade de infância, daquelas que sobreviveu a adolescencia e juventude (conturbadas), mudança de cidade (dela)... E quando nos vimos estávamos adultas (se é que essa fase de fato existe) e amigas...
Ela casou-se com um primo distante (meu), tem 2 filhos e sempre fez questão de dividir como pode suas alegrias comigo.
Sempre que conversamos é aquele papo descontraído e cheio de bom de humor. Dividimos nossa realização como pessoas...

Só até nossa juventude tivemos uma forte convivência... Depois, eu me afastei... Penso ser natural: ela passou a ser esposa e mãe, coisa que eu não sei o que é... Digo que me compreendi, pois ela não poderia ter o mesmo comportamento e postura que eu...
Mas, admito que as vezes temo ter me afastatado mais do que devia...
Adquiri outros interesses e fiz com que esses me preenchessem de modo a não deixar brechas...

Será que ela sentiu/sente minha falta e eu não sinto falta dela?

Bem, quem sabe um dia ela leia isso e quem sabe, se quiser, até responda.

Enquanto isso, eu vou ficar com meu pensamento de que minha presença na sua vida é o suficiente...
Ela reclama às vezes, mas isso deve ser natural... Se de fato precisasse de mais, buscaria...

Mas o meu sentimento, esse me emociona e me impulsiona a escrever o que escrevi agora...

É bom ser amiga...
Ser amiga dela...

Amizade é um parentesco que não é de sangue, mas é escolhido.

Então, fui escolhida...
Mas hoje, aceito e vivo melhor essa escolha...
Abraços,
Amigas e Amigos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Hum! Vai comentar! Agradecida!